Publicado em Uncategorized

Exposição Itinerante

Imagem

Muito legal saber um pouco da história de pessoas que escolheram São Paulo para viver a pàrtir dos anos 40.

Por meio de depoimentos, e fotos do acervo, vindos do arquivo do Museu e do Arquivo Público do Estado de São Paulo, a exposição trajetos, traz o registro desse povo,segundo consta, foram cerca de 2,5 milhões de imigrantes e migrantes.

Até dia 26/11/13

Na Estação Barra Funda na plataforma de acesso entre o Trem e o Metrô, todos os dias das 07:30 às 19:00

Preço: Tarifa do Metrô!

Imagens: JGA

Por: JGA

 

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Anúncios
Publicado em Uncategorized

Aleijadinho

Imagem

Nascido Antônio Francisco Lisboa, em Ouro Preto, a 29 de agosto de 1738, falecido em Ouro Preto, a 18 de novembro de 1814), no próximo dia 18/11 completará o bicentenário de sua morte.

Foi um importante escultorentalhador e arquiteto do Brasil colonial.  sua biografia, permanece até hoje envolta em cerrado véu de lenda e controvérsia. Toda sua obra, entre talha, projetos arquitetônicos, relevos e estatuária, foi realizada em Minas Gerais, especialmente nas cidades de Ouro PretoSabaráSão João del-Rei e Congonhas. Com um estilo relacionado ao Barroco e ao Rococó, é considerado pela crítica brasileira quase em consenso como o maior expoente da arte colonial no Brasil.

Era filho de uma escrava com um mestre-de-obras português. Iniciou sua vida artística ainda na infância, observando o trabalho de seu pai que também era entalhador.

Por volta de 40 anos de idade, começa a desenvolver uma doença degenerativa nas articulações. Não se sabe exatamente qual foi a doença, mas provavelmente pode ter sido hanseníase ou alguma doença reumática. Aos poucos, foi perdendo os movimentos dos pés e mãos. Pedia a um ajudante para amarrar as ferramentas em seus punhos para poder esculpir e entalhar. Demonstrava um esforço fora do comum para continuar com sua arte. Mesmo com todas as limitações, continuava trabalhando na construção de igrejas e altares nas cidades de Minas Gerais. Na fase anterior a doença, suas obras são marcadas pelo equilíbrio, harmonia e serenidade. São desta época a Igreja São Francisco de Assis,  Igreja Nossa Senhora das Mercês e Perdões (as duas na cidade de Ouro Preto).   Como material de suas obras de arte, usou principalmente a pedra-sabão, matéria-prima brasileira. A madeira também foi utilizada pelo artista.

Sua obra mais famosa são os 12 Profetas esculpidos no pátio da Igreja do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos. localizada no município de Congonhas do Campo (MG).

Apesar de todo seu talendo, Aleijadinho morreu pobre, doente e abandonado.

Imagens: Google Imagens

Por: JGA

Imagem Cristo Flagelado

ImagemProfeta Isaías

ImagemCarregamento da Cruz

Imagem Profeta Daniel

Imagem Profeta Ezequiel

Imagem Profeta Oseias

Santuário de Bom Jesus de Matosinhos

Imagem

ImagemImagemImagem

 

Publicado em Uncategorized

Siga em frente !!!

Imagem

 

É preciso saber sempre quando se acaba uma etapa da vida. Se insistimos em permanecer nela, depois do tempo necessário, perderemos a alegria e o sentido do resto.

Não podemos estar no presente sentindo falta do passado. O que aconteceu, aconteceu. Não podemos ser filhos eternamente, nem adolescentes eternos.

Os acontecimentos e as pessoas passam por nossas vidas, e temos que deixá-los ir! Por isso, às vezes é tão importante esquecer de lembrar, trocar de casa, rasgar papéis, jogar fora presentes desbotados, dar ou vender livros…


Na vida ninguém joga com cartas marcadas, e a gente tem que aprender a perder e a ganhar. O passado passou: não espere que o devolvam. Também não espere reconhecimento, ou que saibam quem você é. A vida segue para frente, nunca para trás.

Se você anda pela vida deixando portas “abertas”, nunca poderá desprender-se, nem viver o hoje com satisfação. Casamentos, namoros ou amizades que não se fecham, possibilidades de “regresso” (a quê?), necessidade de esclarecimentos, palavras que não foram ditas, silêncios… Fazer a faxina emocional e arrumar espaço nas gavetas do futuro para o novo.

Não por orgulho ou soberba, mas porque você já não se encaixa ali, naquele lugar, naquele coração, naquela casa, naquele escritório, naquele cargo…

Você já não é o mesmo que foi há dois dias, há três meses, há um ano… Portanto, nada tem que voltar!!

 

Trecho do texto de :Hamilton Felix Nobrega

Imagem: Google Imagens

Por: JGA