Publicado em Uncategorized

60 anos do Parque do Ibirapuera!!!

ibira 1

Favela em 1950 onde fica hoje o Parque Ibirapuera. Foto de Sebastião Assis Pereira.

ibira 2

Lago do Ibirapuera em 1953. Foto Folhapress.

 

ibira 3

O prédio da OCA, no parque do Ibirapuera, em 1954. German Lorca.

 

ibira 4

Prédio da Bienal em 1956. Folhapress

 

ibira 5

Planetário do Ibirapuera em 1965. Folhapress

 

ibira 6

Paulistanos no Ibirapuera, em 1965. Folhapress

 

Nessa última 5ª feira(21/08/14) o Parque do Ibirapuera completou 60 anos.

Mas, e como tudo começou?
“De acordo com o histórico do Parque do Ibirapuera, produzido pela prefeitura de São Paulo e publicado em diversos guias sobre a cidade, já no final da década de 20, o prefeito Pires do Rio manifestou o desejo de criar em São Paulo um parque nos moldes dos grandes parques existentes nas grandes cidades do mundo como o Central Park, em Nova Iorque, entre outros que compunham a paisagem urbana das metrópoles no mundo. A região conhecida como Ibirapuera, antiga aldeia indígena e depois transferida para o município por uma lei estadual em 1906, apresentava as dimensões necessárias para a concretização do projeto. Essa ideia foi abandonada, em princípio, por se tratar de uma região alagadiça, cuja drenagem foi realizada alguns anos depois. Segundo consta do histórico do Parque do Ibirapuera, por conta da iniciativa de um funcionário da prefeitura, Manuel Lopes de Oliveira, através do cultivo de grande variedade de plantas…”
Trecho do site: http://www.parqueibirapuera.org/

Quem mora em São Paulo tem o Parque do Ibirapuera como um refúgio em plena selva de pedras, passar o dia por lá descarrega o estresse diário, o parque oferece tantas atrações,
pode-se fazer trilha de bike, caminhar, sentar-se de bobeira à beira do lago, andar de patins, skate, patinete, sentar-se e ler um livro embaixo de uma de suas inúmeras árvores, fazer um pic nic.  Sem contar as atividades culturais, shows, exposições, mostras, apresentações de dança e teatro, dentro do ibirapuera  há três museus, Museu de Arte Moderna(MAM), Museu de Arte Contemporânea(MAC), e Museu Afro Brasil, que além das mostras, promovem debates e ministram cursos, no museu afro está localizada a Biblioteca Carolina Maria de Jesus.
A Oca, o Planetário e o Auditório, também proporcionam momentos de descontração e conhecimento, e claro, o prédio da Bienal de Artes que exibe inúmeras expressões artísticas.

Nessa sexta feira(22/08) passei uma tarde agradabilíssima por lá, é bacana observar o vai e vem das pessoas, homens e mulheres, adultos e idosos, jovens de todas as idades, crianças, os bichos, cães, gatos, os gansos do lago, é bom sentir o cheiro de suas árvores, tenho boas lembranças desse lugar, passei grandes momentos nesse parque. Um Salve ao Ibira
Quem ainda não conhece, não deixe de ir, vale muito a pena.
Que venham mais 60 anos de história e momentos agradáveis.
Por JGA

 

Galeria de Imagens do Parque

ibira 7 ibira 8 ibira 9 ibira 10 ibira 11parque-ibirapuera

Mapa do Parque

mapa-parque ibira

Anúncios
Publicado em Tag -Entrevistas

Wagner Campelo

Estampas criadas por Wagnerwagner_campelo_01 wagner_campelo_02

Profissão: Designer e Professor Universitário

Cidade: Rio de Janeiro – RJ

 

Postura Urbana –   Conte um pouco como descobriu o mundo das estampas.

Wagner Campelo – Meu primeiro contato com estamparia surgiu quando tive a oportunidade de trabalhar, como desenhista de padronagens, numa multinacional fabricante de material vinílico. Naquela época (1989) a computação gráfica ainda não era uma realidade no Brasil e todo o trabalho tinha de ser feito manualmente, com tintas, lápis e pincéis. Na verdade, quando fui contratado, eu nem sabia exatamente como elaborar um desenho, que, quando multiplicado desse a sensação de continuidade. Precisei descobrir tudo sozinho, através de experiências, tentativas, alguns erros e muitos acertos. Trabalhei durante três anos nesta empresa, desenvolvendo estampas para papel de parede, revestimento para estofados, pisos, cortinas para box, plástico adesivo, entre outros itens.

 

Postura Urbana –   Como se dá seu processo criativo?

Wagner Campelo – Meu processo criativo depende de uma série de fatores como o briefing, o sistema de impressão, o resultado pretendido segundo as expectativas do cliente… Assim, posso desenvolver desenhos manualmente ou de forma direta nos programas; posso usar imagens diretamente ou de modo indireto; posso fazer uso de técnica mista, explorando as duas possibilidades anteriores… O importante é que o processo seja adequado ao objetivo da proposta. Acredito que quanto mais diversificados forem os processos de criação, mais originais e inesperados podem ser os resultados.

 

Postura Urbana –  Você tem alguma preferência por alguma técnica? Se sim, porque?

Wagner Campelo – Não tenho preferência, pois tudo depende da proposta. Porém, sempre que possível, procuro usar fotografias feitas por mim mesmo como ponto de partida para diferentes técnicas, sejam elas de uso direto ou indireto.

 

Postura Urbana –   Complete a frase, A moda e o design no Brasil são…

Wagner Campelo – Atividades cada vez mais crescentes e que estão tentando buscar uma identidade (nacional) própria.

 

Postura Urbana –  Como está o mercado para os novos designers de estamparia?

Wagner Campelo –  Acredito que este mercado está em plena ascensão, mas, apesar disso, percebo que muitos clientes ainda não valorizam adequadamente este ofício, pois quase nunca estão dispostos a pagar o devido preço que uma estampa exclusiva pode atingir.

Postura Urbana –  Na criação de uma estampa a criatividade é ilimitada?

Wagner Campelo –  Teoricamente, sim, mas é preciso sempre considerar o briefing com suas diretrizes, exigências e restrições. Deste modo, alguns fatores podem (e devem) conduzir a criatividade, delimitando-a a uma proposta coerente e adequada ao projeto do cliente.

 

Postura Urbana –  Fale um pouco de seu dia a dia…

Wagner Campelo – Atualmente, devido a estar lecionando na graduação e pós-graduação da faculdade SENAI-CETIQT, meu dia-a-dia precisa ser dividido entre as atividades referentes ao ofício de professor e também ao trabalho como designer. Além disso, também costumo ministrar cursos livres aqui no Rio e em São Paulo. Assim, parte da minha semana é dedicada a dar aulas, corrigir trabalhos e provas, elaborar novos cursos livres; e a outra parte, ao desenvolvimento de estampas para os meus clientes.

Estampas criadas por Wagnerwagner_campelo_03 wagner_campelo_04 wagner_campelo_05

Wagner, o Postura Urbana agradece a entrevista. Sucesso!!!

 

 

Por: JGA

 

Publicado em Uncategorized

Flávio de Carvalho

Flavio de Carvalho

Nascido em Barra Mansa (RJ) em 1889 e falecido em Valinhos (SP) em 1973, Flávio de Carvalho foi um multitarefa, e um dos grandes nomes da geração modernista brasileira, dentre suas facetas, atuou como arquiteto, engenheiro, cenógrafo, pintor, desenhista e etc.

Na OCA do Parque do Ibirapuera está acontecendo a exposição

“Flavio de Carvalho – a experiência como obra”

A exposição mostra o universo amplo e irrestrito de sua criatividade.

 

Estive lá, vale a pena!

 

Flavio de Carvalho 2

DSC06839 DSC06840 DSC06841 DSC06842 DSC06843 DSC06844 DSC06845 DSC06847 DSC06848

Onde?

OCA – Parque do Ibirapuera – Acesso pelo portão 3

Quanto?

Grátis

Até quando?

Para maiores informações: 3241 1081

 

 

Por: JGA