Publicado em Saúde& Bem Estar

Como vai sua saúde?

saude

E aí, você se cuida?

Costuma fazer exames e consultas periodicamente?

Eu adquiri esse hábito de minha mãe, como sempre me alimentei mal, não comia e continuo não comendo feijão, em hipótese alguma, sempre tive deficiência de ferro e por conta disso, tive anemia praticamente minha infância toda e parte da minha pré adolescência, idem, virava e mexia tinha que ficar tomando vitamina de ferro. Então, a cada 6 meses estava  eu lá, em consulta médica, estava eu lá fazendo hemograma completo, exame de urina e fezes.

Cresci e saí da condição anêmica, aprendi a comer alimentos mais saudáveis, supro minha falta de ferro no brócolis, que aliás aprendi a gostar nem tem tanto tempo assim e na aveia que amo desde criança. Claro que amo comer besteira, há 9 meses, retirei minha vesícula biliar e desde então, melhorei 70% minha alimentação.

Na vida adulta, mantive o hábito de fazer hemograma completo, urina e fezes a cada 6 meses, e claro, os exames ginecológicos 1x ao ano. E tento manter atividade física 2x por semana(caminha e bike).

E vc?Cuida da sua saúde? Se alimenta bem? Se exercita ou não está nem aí pra isso?

Além da saúde física, devemos nos preocupar com nossa saúde mental,é ela que rege nossa qualidade de vida. Mente sã, Corpo são. Bons Livros, Filmes, atividades sociais, viagens, estar com quem amamos(pessoas e bichos), contato com a natureza, tudo isso nos energiza.

saude-6

Cuide-se… Cuidar-se é um ato de carinho consigo mesmo.

Imagens: Google Imagens

Por: JGA

Publicado em Tag -Entrevistas

Beto Cruz! Sua voz, seu recado!

beto-3

Beto Cruz é um desses garotos de sorriso fácil e Vibe Positiva, me lembro dele criança, empinando pipa na rua, sempre sorridente, cresceu e se tornou um rapaz de muito talento, com muita consciência. Fico feliz de ter contato com ele.Nos encontramos na virada do ano, reforço aqui o desejo de um 2017 cheio de realizações pra você!!!

Salve Betinho, abaixo segue entrevista:

Beto Cruz– músico – São Paulo – SP

Postura Urbana – Você gosta de cultura de um modo geral, quais são suas inspirações?
Beto Cruz – Sim, todas as áreas da cultura me interessam eu me identifico muito. Meu circuito de amizades varia entre artes visuais, artes plásticas e saraus, até chegar nos músicos, acho que essa energia me conduz. Minhas inspirações estão nas coisas simples, no sorriso dos meus filhos, nos dias de sol, nos dias de chuva, no amor, e acredito que a minha inspiração seja na simplicidade da vida.
 Postura Urbana – Como começou a compor?
Beto Cruz –Bom… (Risos) foi um processo que acredito, que eu fui mais escolhido do que eu escolhi a compor, saca? Eu tinha alguns versos escritos guardados, mas nenhum formulava uma música completa, até que um dia eu fechei alguns versos e mostrei a um amigo (Pedro Alves) no caso eu iria pedir pra ele escrever a parte dele em 2012, e a gente iria fechar o que seria a nossa primeira música juntos, ele escreveu e a música nasceu daí em diante, nunca mais parei de compor o nome dela é “Discos de Vinil”.
 Postura Urbana– Como você define seu trabalho?
Beto Cruz – Livre! Mesmo estando dentro de um gênero musical defino minha música livre. Gosto de falar de igual pra igual nas minhas letras, como se eu estivesse conversando com o ouvinte, como eu disse na primeira pergunta, a simplicidade da vida é o que me inspira, gosto de simplicidade e naturalidade.
Postura Urbana – Como surgiu seu primeiro EP?
Beto Cruz – O EP nasceu de algumas letras e batidas produzidas em 2016, trazendo dois remixes das músicas “Saudade” e “Vivenciar”. O nome do EP é Novos Ares e como será meu primeiro trabalho, estou muito feliz pelo progresso e processo produtivo,em breve o trabalho estará disponivel nas plataformas digitais. Farei o CD fisico também!
 Postura Urbana – E como você escolhe seus parceiros?
Beto Cruz – Na música, gosto de fazer parceria com pessoas que eu tenho um vínculo afetivo fora da música, como amigos próximos e familiares, acho que o diálogo musical fica mais natural quando se trabalha assim, O clima fica bem descontraído e leve na criação da música.
 Postura Urbana – Quem são seus ídolos na música?
Beto Cruz – Me inspiro muito na escrita do Djavan, Milton Nascimento, aquela coisa de falar de tudo que está em nossa volta, sobre o vento, amor, lugares de uma forma única. Ouço Baobá Nagô, Bob Marley, Peter Tosh, Black UHURU também me inspira. No rap nacional, gosto muito de ouvir Black Alien, Costa Alves Interiormente, Sabotage, Sombra, Gelleia, no momento ouço isso.
Postura Urbana – Como define a cena musical popular atual? Você acha, que esses modismos são efeito da alienação coletiva?
Beto Cruz –No lado alternativo ainda podemos ouvir coisas boas na música popular, na população percebo que eles são mais vitimas do que alienados, saca?! Acho que a alienação é você ingerir algo sem saber de onde surgiu, eles ingerem e sabem de onde vem. A mídia que se torna um mediador dessas pessoas e acaba doutrinando a seguir apenas um padrão.
Postura Urbana -O que você não escuta de jeito nenhum?
Beto Cruz –Hoje em dia eu me permito ouvir coisas novas e tentar filtrar apenas coisas boas de todos os gêneros musicais, quando eu produzo uma instrumental eu tenho que usar samples de diversos estilos , até formar uma instrumental de rap, acho que aí já quebra o lance de não ouvir outras sonoridades.
 Postura Urbana – Financeiramente falando, você faz parte de algum projeto de incentivo a novos artistas?
Beto Cruz Não faço parte… Mas já participei de alguns projetos com incentivo como atração artística quando o projeto estava sendo executado.
 Postura Urbana -E quanto ao preconceito? Você já foi vítima?
Beto Cruz – Acho que todo cidadão preto na sociedade brasileira já sofreu preconceito, mas a vítima não somos nós, e sim os racistas que sofrem dessa doença. Nós resistimos todos os dias, ocupando lugares, universidades, cargos importantes no trabalho, TV e na Música. Mas como diz o DJ do Racionais MC’S grande KL J “Estamos em território inimigo”.
 Postura Urbana -Você acha que o racismo é desinformação ou mau caratismo mesmo?
Beto Cruz –Desinformação! Infelizmente o racismo no Brasil nasce em todos os meios de comunicação possíveis, eles vendem o padrão europeu e restringem a cultura afro no país. Hoje estamos caminhando em passos largos, mas pense, nós crescemos sendo doutrinados a não gostarmos dos nossos cabelos, traços, cor da pele e a mídia vende apenas o lado da dor da nossa raça, manja? Um estrago psicológico enorme; estamos em um pais que precisamos pesquisar sobre nós mesmos. Na escola local onde deveria ser a base da nossa formação, não falavam sobre Malcolm X, Martin Luther King, Stevie Biko, Milton Santos, Black Panthers, eles não falavam sobre a riqueza africana.
 Postura Urbana – Deixe um conselho para a nova geração.
Beto Cruz – Se informem! Não tenham medo de consumir informação, ler, assistir documentários e vasculhar o passado. Não existe a construção do futuro sem saber sobre os ancestrais, mas não deixe de lado os nossos contemporâneos. Só o conhecimento libertará essa alienação!
Postura Urbana – Como Beto Cruz se autodefine ?
Beto Cruz – BETO CRUZ é família, música, alma de poeta e muita ligação com as africanidades.

beto-6

beto-2

beto-7

beto-1

beto-5

beto-4

img-20170101-wa0023

Querido Betinho, o Postura Urbana agradece a entrevista, muita Luz e Sucesso!!!

Imagens: Arquivo Pessoal

Por: JGA

Publicado em Tag -Entrevistas

Teatro para todos. Loló Névves

20151127_193251

Postura Urbana – Como decidiu ser artista?

Loló Névves – Nasci atriz! sempre soube pra que vim a esse mundo.

 Postura Urbana – Como surgiu a ideia de levar arte a comunidade?

Loló Névves -Quando senti a necessidade de mostrar que o público de uma forma geral adora uma boa comédia. Seja qual for a classe social. E é verdade, toda arte,sendo bem feita,atinge a qualquer pessoa.

 Postura Urbana – Recebe algum apoio governamental? Como vê o cenário atual da cultura com essa troca de governo?

Loló Névves -Tenho projetos aprovados na Lei Rouanet, mas a captação é difícil pra quem não é “Famosa”. Tenho 31 anos de carreira, e essa mudança do Ministério da Cultura para secretaria,pra mim não muda nada!! Nunca dependi deles pra viver e estar em cartaz com meu teatro. Quanto a mudança de governo, como falo sempre, eu não votei no Temer, mas ele ou qualquer outro politico é melhor que a Dilma e o PT!A Lei foi feita para ajudar pequenas produções e formar público para as artes.A boquinha tem que ser fechada sim!

 Postura Urbana – Quais são suas inspirações?
Loló Névves -São várias. O Ser Humano principalmente, e suas imperfeições.

 Postura Urbana – Livro de cabeceira

Loló Névves -Adoro Biografias.

 Postura Urbana – O que te desanima?

Loló Névves -Os Políticos.

 Postura Urbana – Um sonho

Loló Névves – Continuar sonhando…

carlinhos-novo
cafu-assinando-bandeira
carteira-tablado
lolo-rindo-1
O Postura Urbana agradece a entrevista Loló … Sucesso… Feliz 2017!!!
Imagens: Arquivo Pessoal
Por JGA