Publicado em POESIA

Cecília Meireles

Imagem

(1901 —  1964) É considerada uma das vozes líricas mais importantes das literaturas de língua portuguesa.

Sem Corpo Nenhum

Sem corpo nenhum,
como te hei de amar?
— Minha alma, minha alma,
tu mesma escolheste
esse doce mal! 

Sem palavra alguma,
como o hei de saber?
— Minha alma, minha alma,
tu mesma desejas
o que não se vê!

Nenhuma esperança
me dás, nem te dou:
— Minha alma, minha alma,
eis toda a conquista
do mais longo amor!

Publicado em POESIA

Carlos Drummond de Andrade

Carlos Drummond de Andrade (1902 — 1987) foi um poetacontista e cronista brasileiro.

ImagemAusência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.